Coligação “Águas em Boas Mãos” pede cassação do mandato do prefeito e dos vereadores do PSDB em Águas de São Pedro

Coligação “Águas em Boas Mãos” pede cassação do mandato do prefeito e dos vereadores do PSDB em Águas de São Pedro

A coligação “Águas em boas mãos”, formada pelo DEM e PSD, impetrou com ação na Justiça Eleitoral de São Pedro, pedindo a cassação do mandato do prefeito de Águas de São Pedro, João Victor Barbosa (Cidadania), por gasto irregular de recursos na campanha eleitoral do ano passado, conforme sentença do juiz eleitoral  Luciano Francisco Bombardieri, dada no início deste mês. Na ação, a coligação ainda pede a anulação dos votos de candidatos a vereador pelo PSDB Adeilson Afonço de Lima, Adriana Santamaria Mendes, Alecsandro Ramos, Anderson Cardoso Teixeira, Sebastião da Silva, Evandro Eduardo Lopes, Iole Maria Ragazzi,Luiz Alexandre dos Santos Pereira, Maria de Fátima Scaranello, Rubens Aparecido Nunes, Simone Rahal Farhat, João Siebre de Oliveira e Hugo Franco Gaeta, também pela utilização de recursos indevidos do Cidadania, que foi julgado ilegal pela Justiça Eleitoral.

Na justificativa, a coligação alega que as eleições majoritárias do ano passado, na cidade de Águas de São Pedro, foram muito acirradas e disputadas, tendo sido vencidas por estreita diferença de votos. “Enquanto o representado João Victor Barboza obteve 1.203 votos, o que equivale a 43,73% dos votos válidos, a candidata Maria Ely obteve 1.142 votos, atingindo 41,51% dos votos válidos da eleição. A diferença, portanto, que definiu a disputa consubstanciou-se em apenas 61 votos”, é ressaltando na ação.

É argumentado ainda que o candidato a prefeito João Victor declarou despesas de campanha no valor de R$ 42.422,80, enquanto que os seus adversários R$ 25 mil e que a utilização de forma irregular de R$ 10.596,62 fez a diferença em favor do então candidato do Cidadania e da chapa de candidatos a vereador pelo PSDB, exceção da candidata Jorama Katarine Nunes Martins Lopes, que não se beneficiou de material produzido com o recurso recebido do Cidadania.

Diante disso, é alegado que essa pequena diferença que separam os candidatos certamente foi obtida em razão de graves atos que representam gasto ilícito de recursos. Com base nisso, pede a cassação do diploma do prefeito João Victor, do seu vice, Edison Xavier, e dos vereadores eleitos pelo PSDB, bem como a inelegibilidade deles.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta