Câmara acata veto e impede criação de fundação em Águas de São Pedro

Câmara acata veto e impede criação de fundação em Águas de São Pedro

Nelinho diz que prefeito terá que assumir ônus

A Câmara Municipal de Águas de São Pedro acatou, na sessão da última segunda-feira, 22 de fevereiro, por 6 a 2 o veto do prefeito da cidade de Águas de São Pedro, João Victor Barboza, ao Projeto de Lei Complementar 06/2020, de autoria do vereador Nelinho Noronha (PT), que garantiria a instalação de uma fundação ou ONG na casa que foi de propriedade do famoso narrador de futebol Fiori Gigliotti, voltada ao desenvolvimento de projetos sociais para beneficiar principalmente as famílias de menor poder aquisitivo do município. O veto foi acatado com votos dos vereadores Anderson Cardoso, Arthur Henrique Barreira, Renan Stoco, Silvana Queiroz, Tatiana Heidon e Valter Leandro Ferreira, enquanto que Nelinho Noronha e Mônica Demitry votaram contrários ao veto, por entender que Águas de São Pedro está perdendo uma grande oportunidade de ganhar uma fundação para o desenvolvimento de projetos sociais no município, voltados a propiciarem desenvolvimento justamente para os jovens de Águas.

Para instalar a Fundação na casa do antigo narrador de futebol, o projeto do vereador Nelinho Noronha, aprovado pela Câmara Municipal no ano passado, mudava a faixa de  zoneamento da rua Embaixador Oswaldo Aranha, a partir da rua Antonio Casarini, que já conta com diversos estabelecimentos comerciais, possibilitando a instalação de uma instituição filantrópica para o desenvolvimento de projetos sociais, sem fins lucrativos e sem dinheiro público. Nelinho Noronha conta que a rua Embaixador Oswaldo Aranha, até a rua Antonio Casarini, já possibilita a instalação de estabelecimentos comerciais e instituições filantrópicas. “A proposta aprovada pela Câmara era de estender mais um trecho essa possibilidade na rua Embaixador Oswaldo Aranha. Naquela região da cidade, inclusive, há outros trechos de ruas que possibilitam a instalação de estabelecimentos comerciais e filantrópicas. Inclusive, uma das ruas foi alterada o zoneamento para que o então deputado Celino Cardoso construísse uma pousada, na região do lago, para gerar novas oportunidades de emprego, o que acabou não se concretizando”, conta o vereador.

Para Nelinho Noronha, o prefeito Victor Barboza vetou o projeto “por perseguição política, mas está prejudicando a população. Como a maioria dos vereadores acatou o veto, por serem subserviente ao prefeito, agora cabe ao João Victor assumir a responsabilidade por impedir que a nossa cidade fosse contemplada com fundação ou ONG que poderiam ser instalada naquele prédio, que, com certeza, iriam desenvolver diversos projetos sociais como de canto, música, dança, artes, balé, entre outros educacionais, de forma inteiramente gratuita, de interesse da nossa população. A cidade perde por capricho do prefeito e ele tem, sim, que assumir a responsabilidade por essa perseguição política”, enfatiza.

Na avaliação do vereador Nelinho, os moradores de Águas não podem ser prejudicados de tal forma apenas “por uma raiva nutrida pel prefeito, que desconsidera todo um histórico de mudanças de zoneamento naquela região da cidade e inclusive uma homenagem ao narrador de futebol Fiori Gigliotti, que muito contribuiu para divulgar o nosso município. Faço essa denúncia para que a população tome conhecimento e nos ajude a cobrar que o João Victor, que vem demonstrando não estar à altura do cargo, assuma a sua responsabilidade por seus atos”, conclui.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta