Agressão à deputada Bebel terá ato de desagravo na Câmara Municipal de São Paulo

Agressão à deputada Bebel terá ato de desagravo na Câmara Municipal de São Paulo

Parlamentar tem recebido inúmeras manifestações de solidariedade dos mais variados segmentos, repudiando a agressão sofrida na Secretaria Estadual da Educação

A agressão sofrida pela deputada estadual Professora Bebel (PT), na última quinta-feira, 18 de novembro, na Secretaria Estadual da Educação, quando tentava entrar no prédio para tratar do desmantelamento do EJA/CEEJA pelo governo estadual, terá ato de desagravo na Câmara Municipal de São Paulo, nesta quinta-feira, 25 de novembro. O evento, marcado para as 15 horas, é uma iniciativa dos amigos da Deputada Estadual Professora Bebel contra o autoritarismo, que focará o machismo, a violência e a misoginia.

Desde o episódio, a deputada Bebel tem recebido inúmeras manifestações de solidariedade dos mais variados segmentos, repudiando a agressão sofrida na Secretaria Estadual da Educação. “Agradeço as dezenas de manifestações de solidariedade que tenho recebido e reforçar que não é esta demonstração truculência, comum no governo de João Doria, que irá interromper nossa luta em defesa de uma educação pública e de qualidade”, enfatiza a parlamentar e líder dos professores.

No ato será enfatizado a ação de seguranças da Secretaria Estadual da Educação, por ordem superior, que tentaram impedir com truculência a entrada da deputada Professora Bebel, que também é presidenta da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo, no prédio da pasta, quando ela foi até o local para tratar de assuntos referentes a CEEJA, EJA e ensino noturno.

Bebel conta que a sua iniciativa foi em função da recente publicação da Resolução 119/2021, pela Secretaria Estadual da Educação, que, entre outras alterações, reduz o currículo dos CEEJA, suprime disciplinas importantes da área de humanidades

(História, Geografia, Sociologia, Filosofia e outras). Além dessas alterações relacionadas aos CEEJA, também é urgente que se interrompa o processo de fechamento de turmas de Educação de Jovens e Adultos e de classes no ensino regular noturno, prejudicando os direitos dos estudantes e também dos professores. “Esse processo de exclusão atinge sobretudo os estudantes trabalhadores que, com a ampliação do Programa de Ensino Integral (PEI) nas escolas estaduais e fechamento do noturno, ficam sem opção para a continuidade dos estudos”, ressalta Bebel.

Apesar da truculência por parte da Secretaria Estadual da Educação, a deputada Professora Bebel conseguiu ingressar no prédio, acompanhada de diretores da Apeoesp e, depois de muita pressão, foi recebida pelo Coordenador Pedagógico da Pasta, Caetano Siqueira e outros assessores. Neste encontro, como encaminhamento, a Apeoesp enviou ofício detalhando todas as questões abordadas, para que sejam examinadas pelas áreas técnicas da Secretaria, para posterior devolutiva.

Bebel destaca que a Apeoesp solicitou por diversas versas vezes, ao longo dos últimos anos, reunião com o secretário da Educação, Rossieli Soares, sendo a última solicitação protocolada no dia 22/10/2021, sem que o secretário tenha atendido essas solicitações.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta