Advogado esclarece dúvidas sobre os golpes utilizando PIX

São Paulo, fevereiro de 2021 – Recentemente, o PIX – o novo sistema de pagamentos e transferências instantâneas e gratuitas desenvolvido pelo Banco Central do Brasil (Bacen), começou a ser utilizado no Brasil. De acordo com levantamento realizado pelo Banco Central, até o domingo, dia 15 de novembro, mais de 71 milhões de chaves PIX foram cadastradas na plataforma. Prometendo trazer mais agilidade e praticidade na hora de fazer pagamentos, a plataforma deve levar o sistema bancário brasileiro para outro patamar de inovação. 

Junto com a chegada no novo sistema ocorreu um aumento no número de fraudes envolvendo a plataforma de pagamentos instantâneos. De acordo com a Forcepoint, companhia americana que atua com segurança digital. Em duas varreduras digitais feitas em outubro, a empresa identificou pelo menos 5.500 e-mails falsos com tentativas de golpes de phishing. Segundo Plauto Holtz, advogado, especialista em Direito do Consumidor e sócio-fundador da Holtz e Associados, o sistema traz grandes benefícios, mas também pode causar riscos com o vazamento de dados. “Os golpes podem acontecer ao conseguir alguns dados dados sobre os usuários, é preciso ficar atento a e-mails e mensagens suspeitas”, alerta Plauto,

Plauto Holtz, advogado, especialista em Direito do Consumidor e sócio-fundador da Holtz e Associadosestá disponível para esclarecer dúvidas sobre o assunto.

Sobre Plauto Holtz

É advogado, ex-presidente da comissão de direito do consumidor da OAB Sorocaba. Com 16 anos de experiência, também é especialista em direito previdenciário, ex professor Universitário pela faculdade UNIP e perito Grafotécnico. Também é sócio-fundador do Holtz Associados um escritório de advocacia focado em oferecer soluções jurídicas sólidas e multidisciplinares na área do direito, medicina e segurança do trabalho, atende clientes dos mais variados setores da economia, seja no campo da indústrias como também pessoas físicas e clientes do setor do comércio varejista, educação, tecnologia e instituições financeiras.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta