Museu do Ipiranga e Sesc celebram a Independência do Brasil com videoclipe e campanha digital Ecos do Ipiranga

Museu do Ipiranga e Sesc celebram a Independência do Brasil com videoclipe e campanha digital Ecos do Ipiranga

Este ano, devido à pandemia do novo coronavírus, o evento Museu do Ipiranga em Festa – realizado pela USP e pelo Sesc São Paulo, desde 2017, em homenagem à Independência -, acontece exclusivamente no ambiente digital. Desde o dia 24 de agosto até a próxima segunda-feira, dia 7 de setembro, uma série de ações revela as histórias ligadas ao Museu sob diversos pontos de vista, na campanha Ecos do Ipiranga – Um museu onde a história ganha novas histórias. Durante o período, o público terá a oportunidade de se conectar com os muitos eventos que ecoam no Ipiranga desde 1822 por meio de vídeos, fotografias, filtros no Instagram, podcasts, um aplicativo com uma visita virtual ao museu em 3D, entre outras ações, disponíveis nas redes sociais do museu e no site http://www.ecosdoipiranga.com.br .

A principal ação da campanha está programada para o dia da Independência, quando será lançado o videoclipe da música Paratodos, de Chico Buarque. A canção recebeu arranjo inédito de Carlinhos Antunes e Gabriel Levy para a Orquestra Sinfônica da USP e CORALUSP, e conta com interpretações das cantoras Anastácia, Kaê Guajajara, Negra Li e Tainara Takua.

O videoclipe estreará simultaneamente, às 14h, na segunda-feira dia 7 de setembro, nas plataformas do Museu (ecosdoipiranga.com.br), do Sesc e da USP ( jornal.usp.br ) e contará com uma participação especial de Chico Buarque, cantando um trecho da canção. A família Buarque de Holanda tem uma relação de afeto com o Museu do Ipiranga, já que o patriarca Sérgio Buarque de Holanda foi diretor da instituição por dez anos, entre 1946 e 1956. O clipe também será exibido no SescTV a partir das 16h em diversos horários da programação. Para assistir à programação do SescTV consulte sua operadora, ou acesse sesctv.org.br/ noar , gratuitamente e sem necessidade de cadastro.

Na obra, cuja direção é assinada por Maria Thais e Yghor Boy, serão vistos trechos de edições anteriores da festa popular que ocorria no Parque Independência assim como fotografias de um acervo ainda pouco conhecido do Museu: uma série de retratos feitos por Militão Augusto de Azevedo, na passagem entre os séculos XIX e XX.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta