Parlamentares se reúnem com prefeitos e representantes de países para oportunidades de negócio na região oeste do Estado

Participaram cônsules da Itália, Suécia e China; evento foi da Frente Parlamentar da Assembleia


Com o objetivo de firmar parcerias internacionais entre regiões do interior paulista e países com consulados na Capital, a Frente Parlamentar pelo Desenvolvimento Econômico Regional do Estado de São Paulo, coordenada pelo deputado Paulo Fiorilo (PT), promoveu nesta segunda-feira (7/6) uma reunião virtual para debater projetos e oportunidades.

Participaram do encontro prefeitos integrantes da Unipontal (União dos Municípios do Pontal de Paranapanema), parlamentares integrantes da Frente e que compõem a Comissão de Relações Internacionais da Alesp, além dos cônsules gerais da Itália, Filippo La Rosa, e da China, doutora Chen Peije, e o vice-cônsul geral da Suécia, Peter Johansson, representando o consulado do país.

O prefeito de Presidente Prudente, Ed Thomas, ex-parlamentar da Alesp, falou sobre a cidade que comanda e agradeceu a oportunidade. “Nós queremos oferecer o que temos de melhor para o Estado, daqui para o mundo. Prudente, capital regional do oeste paulista, berço do agronegócio, completará 104 anos, e é uma cidade que recebeu a todos, italianos, alemães, chineses. Todos são bem-vindos. Agradecemos a oportunidade de fazer esse intercâmbio tão importante, com a nossa Itália, Suécia e China. O oeste paulista, maior volume de terra e de água, espera todos para investimentos. Nos ajudem a retomar a economia e mostrar a força do interior”, disse.

O cônsul italiano, Filippo La Rosa, ressaltou a importância de atividades como essa. “Nós que estamos aqui representando Estados estrangeiros em São Paulo, temos uma tendência de ficar aqui na capital paulista, dando um pouco as costas para grandes possibilidades de parcerias que o interior oferece. A Itália tem uma presença histórica em São Paulo e isso continua acontecendo com a presença industrial hoje em dia. Cerca de mil empresas italianas que estão no Brasil, mais de 60% delas estão nesse Estado, que é o carro-chefe da economia brasileira. Nós precisamos escutar as vozes dos prefeitos e deputados, entender as oportunidades que esses territórios têm para nós, que estamos totalmente a disposição para trazer mais empresas, italianas e outras, que ainda não atuam no local, para conhecerem a região”, afirmou.

Filippo ainda destacou especificidades do oeste paulista. “Todo mundo conhece a importância do aquífero Guarani, da capacidade de oferecer o bem principal de que o mundo tem necessidade, que é a água doce. A gente sabe que tem mais recursos além desse, e nos disponibilizamos a conhecer melhor e levar para a Itália. A cooperação entre os dois países pode ser ampliada, não só econômica e industrialmente, mas também no setor cultural, de aproximação social e comparação de desenvolvimento territorial. O mundo do futuro é feito disso”, afirmou.

O vice-cônsul da Suécia, Peter Johansson, mostrou interesse no projeto. “A Suécia é um dos dez maiores investidores no Brasil, está aqui faz muitos anos e investe em criação conjunta, acredita que as relações comerciais entre os países precisam trazer lucro para ambas as partes. As empresas suecas já reconheceram a importância do Brasil como mercado e local de produção. Por isso temos bastante interesse nesse projeto junto com a Frente Parlamentar, para o Desenvolvimento Econômico Regional do Estado”, declarou.

Peter também discorreu sobre o futuro as colaborações entre Brasil e Suécia. “Enxergamos que a sustentabilidade é uma das palavras chave para o futuro e investir apenas na cidade de São Paulo é insustentável a longo prazo. A questão do alimento também é outro fator relevante, com o crescimento da população mundial e com os desafios do meio ambiente. Existem grupos empresariais suecos que investem nessa área da agropecuária, com interesse de estabelecer produção no interior paulista”, comentou.

Ed Thomas defendeu por fim, a desburocratização de processos nas cidades. “Nós temos alguns entraves ainda. Algumas situações que a gente precisa desburocratizar para se instalar, planejar, executar e o desenvolvimento chegar. Muitos dos prefeitos e prefeitas já tem feito isso. É importante para que a gente possa fazer tudo fluir”, disse.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta