AES Brasil inicia campanha de conscientização de segurança nos reservatórios

Iniciativa reforça informações sobre cuidados ao nadar e pescar em áreas próximas às hidrelétricas
A fim de contribuir com a segurança e bem-estar da população que vive no entorno das usinas hidrelétricas, a AES Brasil inicia este mês uma campanha de conscientização sobre o uso dos reservatórios para lazer, que será transmitida por meio de anúncios em jornais, rádios locais e nas redes sociais da Companhia.Com o mote “Use sua energia para se divertir com responsabilidade”, a empresa ressalta dicas fundamentais para colaborar com a segurança dos moradores e turistas. Entre as orientações estão não deixar crianças na água sem a supervisão de um adulto, não entrar em um reservatório após a ingestão de bebidas alcoólicas e, principalmente, para que os pescadores respeitem as sinalizações e áreas proibidas. A comunicação também enfatiza a Lei 11.959/2009, que determina a proibição de nadar, utilizar embarcações ou pescar nos reservatórios próximo às áreas das usinas, barragens e canais de escoamento.Em época de quarentena, a equipe de segurança da companhia observou um aumento significativo no número de pessoas que estão entrando em áreas proibidas e de risco e faz um alerta: Respeite a lei. Preserve a vida. A campanha pode ser conferida nas rádios e jornais locais das cidades do entorno das usinas da AES Brasil, ao longo dos rios Tietê, Grande, Pardo e Mogi-Guaçu e, também, nas mídias sociais da empresa: Facebook e Instagram.
Sobre a AES BrasilAcelerando o futuro da energia há mais de 20 anos, a AES Brasil é uma empresa geradora a partir de fontes 100% renováveis, que atua como plataforma integrada adaptável às demandas dos clientes. As soluções oferecidas pela companhia são customizadas, sempre buscando agregar valor e contribuir para a sustentabilidade do planeta. Atualmente, a AES Brasil conta com um portfólio de ativos renováveis com uma capacidade instalada total de 3,9 GW. Toda a energia gerada é proveniente de nove usinas hidráulicas; três pequenas centrais hidrelétricas (PCHs), que estão localizadas no estado de São Paulo; do Complexo Eólico Alto Sertão II (BA) e dos Complexos Solares Guaimbê e Ouroeste (SP). Além disso, conta ainda com o Complexo Eólico Tucano, na Bahia, ainda em construção, o recém adquirido Complexo Eólico Ventus, situado no Rio Grande do Norte, e um pipeline de projetos, chamado Complexo Eólico Cajuína (RN), formando um novo cluster no Rio Grande do Norte.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta